Chefe do morro da Rocinha: livro novo, Nemesis, de Misha Glenny

fff

No Dia das Mães, em maio último, no Complexo do Alemão: uma mãe conta a perda trágica do filho

For King of the hill of Rocinha: new book, Nemesis, by Misha Glenny, click here

O leitor pode pensar que o silêncio longo de sua blogueira seja devido a tanta notícia ruim  — recessão econômica, impasse político, escándalos de corrupção cada vez mais abrangentes. Realmente, não há muito a dizer –para além do desalento — a não ser expressar a certeza de que as mudanças socioeconômicas da última década terão duradouros efeitos positivos e que, apesar dos retrocessos, aprofunda-se a democracia. A verdadeira razão pelo silêncio, porém, é o trabalho focado num livro sobre a metrópole do Rio.

O foco inclui a leitura de livros, e o silêncio precisa ser quebrado para recomendar (além de Dancing with the Devil in the City of God, por Juliana Barbassa ) o livro Nemesis: One Man and the Battle for Rio (Nêmesis: um homem e a batalha pelo Rio) disponível atualmente apenas na Inglaterra. Recomenda-se também o Rio de Janeiro: Histórias de Vida e Morte, de Luiz Eduardo Soares, um conjunto marcante de experiências que o especialista de longa carreira em segurança pública nos oferece.

Nem –Antônio Francisco Bonfim Lopes — está na cadeia hoje, longe de seu território, a Rocinha, onde moram mais ou menos cem mil pessoas. Misha Glenny, jornalista inglês (e amigo de sua blogueira), que já escrevu sobre segurança cibernética, crime organisado global e a região dos balcãs, assumiu para si a missão de visitar o traficante na penitenciária de segurança máxima no estado de Mato Grosso.

O que Glenny colheu dessas conversas extraodinárias e de muita pesquisa adicional (inclusive um tempo morando na Rocinha) é um retrato único de como o negócio das drogas e a Guerra às Drogas afetam a vida no Rio de Janeiro, dentro e fora das favelas. Qualquer um que faça a tentativa de entender a metrópole, especialmente aqueles que receberam a tarefa de cobrir os Jogos Olímpicos de 2016 aqui, deve ler esse livro novo, a ser lançado no começo do ano que vem nos EUA e no Brasil.

A experiência de Glenny o preparou para ligar pontos como poucos fizeram, se alguém já fez. Relata a chegada da cocaina e da violência no Rio, explica as origens das facções, traça as relações entre elas e com a polícia e descreve os rituais fora-estado da favela da Rocinha. Tudo isso então é contextualizado na história brasileira mais ampla e, mais importante, é conectado à história de subida e queda de um homem inteligente, que entrou no negócio das drogas — e no mundo da violência — porque sua filha sofria de uma doença rara, de custos altos.

Trata-se de um livro que, para esta leitora, prova a necessidade urgente de descriminalizar as drogas e integrar mais ainda as cidades e a sociedade no Brasil. Não devemos deixar repetir a história de Nem, e de tantos jovens.

E agora, enquanto Brasília debate como salvar políticos, de volta ao trabalho.

P.T. se você ainda não assistiu ao filme Que horas ela volta?, corre para o cinema.

Advertisements

About Rio real

American journalist, writer, editor who's lived in Rio de Janeiro for 20 years.
This entry was posted in Brasil, Transformation of Rio de Janeiro / Transformação do Rio de Janeiro and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Chefe do morro da Rocinha: livro novo, Nemesis, de Misha Glenny

  1. O Michel Silva me emprestou esse livro. Estou empolgada para começar a ler, apesar de não dominar 100% o inglês britânico… Vamos tentar 🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s