Enquanto você assistia à Copa, parte III (final)

Aconteceu muita coisa no Rio, durante o mês da Copa

SONY DSC

For While you were watching the World Cup, part II (final), click here

Durante séculos, o Brasil foi um país relativamente fechado, de olho em si mesmo, cujos cidadãos, na maioria unilíngues, viajavam raramente e consumiam poucos bens importados.

Há mais ou menos uma década, o quadro começou a mudar. A experiência de sediar a Copa déu ímpeto novo ao processo de abertura. Mesmo para quem não se misturou com os quase 900 mil turistas (sendo metade estrangeiros– e o total, praticamente o mesmo número que costuma vir para o Carnaval) no Maracanã, na Zona Sul ou nas favelas que hospedaram os visitantes, a Copa trouxe aos brasileiros mais informação sobre o mundo, pela mídia eletrônica e a impressa. Talvez o legado mais importante do evento seja esse.

SONY DSC

Torcedores pelo Team USA no Gringo Café atraíram jornalistas brasileiros e americanos, à procura de gritos e lágrimas

Ninguém imaginava

No calçadão de Copacabana, um senhor de Bangladesh fitava o mar. Quando perguntado para qual país ele torcia, puxou o canto da camisa amarela da seleção brasileira que usava. “Fabricamos elas no meu país,” falou, sorrindo.

SONY DSC

No Pão de Açúcar, tudo andava muito bem, como foi o caso, para a surpresa de todos, praticamente na cidade inteira

Se você ficava procurando por gols

Como já se viu em posts anteriores, jovens bailarinos do passinho se apresentaram durante o mês da Copa no show Na Batalha. Estão em Nova York nesta semana, junto com a apresentação do fabuloso documentário sobre o passinho, de Emílio Domingues. O jornal Globo demitiu o editor da seção Rio, Gilberto Scofield, oferecendo uma oportunidade para  algumas reflexoes sobre a cobertura local. E houve uma apressada (e possivelmente, ilegal) audiência pública, um dia após a final, sobre um projeto de melhorias urbanas no valor de R$ 1,6 bilhões, denominado PAC II, para a favela da Rocinha.

SONY DSC

Hesitação inicial e depois curtição da Copa, para a maioria dos brasileiros

O que mais aconteceu durante a Copa?

Enquanto a prostituição bombou na Zona Sul, houve pouco negócio de sexo no resto da cidade. Ao contrário da Jornada do ano passado, com a visita do Papa, quando os peregrinos percorreram a cidade toda, o turismo da Copa do Mundo focou na Zona Sul, paraíso para quem chegasse com fundos parcos — com o telão da FanFest em Copacabana, uma abundância de lanches e bebidas baratas, e a praia de banheiro. O prefeito Eduardo Paes tomou um susto com a chegada de centenas de argentinos, de carro e motor home, acampando no Leme. Foram transferidos para o Sambódromo.

SONY DSC

Inocência antes da perda fatídica, num bar de Santa Teresa

Com exceção do Sambódromo, o Maracanã e o telão tradicional do Alzirão, poucos locais das zonas norte ou oeste atraíram turistas. Um número considerável se hospedou em favelas como a Rocinha e o Vidigal.

SONY DSC

Antes do intervalo, quando o Bar do Gomes se esvaziou, com o placar 5-0, Alemanha

Os moradores do Complexo do Alemão e da Rocinha viram mais tiros do que turistas, em alguns dias. Uma versão do que aconteceu na Rocinha é que traficantes, que normalmente ficam no topo de um morro, teriam descido para assistir a jogos da Copa, junto com outros moradores – – para a surpresa da polícia pacificadora. Domingo passado, o jornal Extra reportou que a polícia pacificadora deixará de fazer patrulhas noturnas — decisão que talvez tenha motivação eleitoreira, para diminuir a violência nas favelas pacificadas até a eleição para governo do estado, em outubro.

SONY DSC

Os protestos e a reação da polícia (que, junto com o Exército e a Marinha, ocuparam a Zona Sul) seguiram um roteiro. Semanas antes, quando jornalistas assistiram a uma sessão de treinamento, foi fácil prever o desencadear dos eventos. Preventivamente, a polícia prendeu pessoas suspeitas de organizar violência e/ou protestos para o dia da final da Copa, e daí reprimiram com firmeza (e violência) a manifestantes na praça Saens Peña, na Tijuca. Ativistas de direitos humanos fazem uma campanha contra o que chamam de um estado de excepção inconstitucional, durante a Copa.

SONY DSC

Estão preocupados com a possibilidade de que a polícia volte a utilizar tais táticas em ocasiões futuras. As prisões, as acusações e a violência policial com certeza irão inibir manifestações de rua. É de se esperar que seja permitido organizar manifestações pacíficas — e também que os dissidentes brasileiro invistam no preparo de novas lideranças e na formação do eleitorado, entre outros requisitos para uma democracia saudável.

SONY DSC

Mais cedo, , inaugurou-se, com pouco alarde, o teleférico do morro da Providência, já pronto meses antes. Por causa de questões legais e de críticas por parte de moradores e ativistas, a inauguração havia sido adiada.

SONY DSC

Os partidos políticos tiveram suas convenções e escolheram seus candidatos definitivos para governador, que surgiram com alianças bastante estranhas, demonstrando a fraqueza de uma democracia baseada mais em personalidade e relações pessoais, do que em ideias e plataformas. No momento, o ex governador Anthony Garotinho e o ex senador Marcelo Crivella lideram as pesquisas de opinião, num empate de 24%. O atual governador, Luiz Fernando de Souza, o Pezão, está com 14%, seguido por Lindbergh Farias, com 12% das intenções de voto. Notavelmente, os votos em branco e anulados totalizam 23% do voto, agora.

O chute desta blogueira é que o voto a favor do Pezão irá crescer nos próximos meses, ao passo que ele vai se beneficiando da máquina política de seu partido e da exposição durante a campanha na televisão e no rádio.

SONY DSC

Camuflagem bem aparente

No começo do período da Copa, Pezão decretou aumentos de salário para funcionários públicos somando até R$ 1 bilhão por ano. Ele tem muito a ganhar da máquina política que herdou do ex governador Sérgio Cabral, que saiu do cargo em abril para deixar seu vice numa posição eleitoral mais confortável.

A campanha deve focar na pacificação, o coração do governo Cabral. De todos os candidatos, apenas Garotinho não pretende dar continuidade no projeto.

SONY DSC

Observando

SONY DSC

Alguém chamou?

Outra notícia que se perdeu no meio dos jogos de futebol foi de que a assembleia legislativa do estado, que funciona num prédio bastante feio, perto da praça Quinze e do Paço Imperial, irá se mudar para uma sede nova, perto da prefeitura e o Centro de Operações, na Cidade Nova. O prédio antigo será demolido e o Palácio Tiradentes, do lado (originalmente a sede do Congresso), será restaurado, criando um novo espaço beirando a baía, que não mais será divido pela Perimetral, recém removida.

SONY DSC

Muitos pais e filhos

Durante a Copa, O Globo também divulgou que, de 64 representantes estaduais, quinze deles mais do que dobraram seus patrimônios nos últimos quatro anos.

SONY DSCE agora será a vez dos Jogos Olímpicos, um evento para o qual muitos turistas da Copa pretendem voltar. Não deve ser surpresa, tampouco, ver um certo retorno para o Reveillon. Hora de fazer um estoque de limões

Advertisements

About Rio real

American journalist, writer, editor who's lived in Rio de Janeiro for 20 years.
This entry was posted in Brasil, Transformation of Rio de Janeiro / Transformação do Rio de Janeiro and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

One Response to Enquanto você assistia à Copa, parte III (final)

  1. Humberto Câmara says:

    Em relação ao Cabral, também acho que ele irá subir bastante nas pesquisas daqui pra frente. Com as campanhas nas rua e na televisão, o povo passará a conhecê-lo e reconhecê-lo mais. Ele ainda é tratado da forma que as pessoas tratavam o Cabral, ainda está na sombra dele. Não que ele seja santo, claro que não, mas que ele não chega perto do Cabral em relação a falcatruas não chega mesmo. Mas vamos esperar pra ver. Tomara que o Garotinho não seja eleito, porque ele sim é o pior pilantra de todos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s